quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

As Pequenas Coisas



Conheço uma cidade descomunal
Que possui uma lua privada
Deus sabe de que são feitos os seus muros
Mas os seus homens são de pedra.

Homens altos como torres ambulantes
Ou esculturas de deuses, vivas
E entrechocam as suas asas e espadas de pedra
Como tempestades quando lutam.

E quando saí da cidade
Perguntei a um ancião
Porque terá feito Deus um sítio tão louco
Quando traçou o plano do mundo.

E o ancião retorquiu
(os céus eram verde escuro como ardósia)
“Deus fez as coisas pequenas para os grandes
Mas as coisas grandiosas para os pequeninos.”

“Deus fez a pequena semente para fazer
A floresta e o banquete,
Ele fez o pequeno coral para construir
As grandes ilhas do Oriente.”

“Mas as coisas altas que escondem o sol,
Os gigantes de antes do tempo,
Essas formas traçou-as Ele à luz do crepúsculo
Como inúmeras colinas de lodo,

Sóis e sistemas vertiginosos
Planetas como bobines amontoadas,
Fê-los Ele para as histórias
A contar a um pequenino só.”





G. K. Chesterton, tradução António Campos




Sem comentários:

Enviar um comentário